Seguidores

domingo, 23 de maio de 2010

Vereadores integram a passeata dos professores na próxima semana


22/05/2010 às 09:59

Mais parecia um palanque político a visita dos representantes do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), ontem, à Câmara Municipal. Os sindicalistas aproveitaram o momento para mostrar a sua indignação com o resultado das negociações com o Governo e a atual situação da greve. Os vereadores abraçaram a causa e afirmaram que irão defender os educadores nesta luta. Para isso está agendada para a próxima sexta-feira (28), às 17h, uma passeata entre professores e vereadores que sairão da Câmara rumo à Escola Estadual Brasil, reivindicando um melhor salário. A paralisação dos serviços dos professores do Estado, que completa quase dois meses, está dando o que falar. Para impugnar o manifesto, o desembargador Wander Marotta concedeu liminar de tutela, suspendendo a greve dos educadores, declarando ilegalidade das ações de paralisação e movimentos grevistas. Por outro lado, os sindicalistas alegam que a decisão tomada pelo desembargador envolveu questões políticas, visto que um dos preceitos da liminar se apoia na questão de que em caso de serviços essenciais, para greve, um percentual de trabalhadores não pode paralisar, porém a Educação não é considerada serviço essencial, segundo a Constituição. De acordo com o vereador e professor Carlos Alberto de Godoy, a Educação em Minas em toda a sua história foi tratada como incompetente, algo supérfluo, do tipo que fica para depois. "Aqueles que pretendem ser governadores, vereadores e prefeitos precisam saber que professor garante Estado de Direito. Pois daqui a pouco teremos que pegar em armas, pois revolução começa assim", enfatiza o vereador. Mas enquanto os sindicalistas continuam com o anúncio de greve, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais decidiu nesta sexta-feira que o Governo de Minas pode contratar professores substitutos aos que se encontram em greve liderada pelo Sind-UTE. De acordo com a decisão, o objetivo é "propiciar o retorno dos alunos da Rede Pública às aulas".De acordo com a coordenadora do Sind-UTE de Uberaba, Sônia Regina Monte, os sindicalistas estarão em Belo Horizonte, hoje, para rebater a medida tomada pelo desembargador Alvim Soares, relator substituto na ação movida pelo Estado, que aumentou a multa aos professores, e a substituição dos grevistas nas salas de aula também será discutida. Já em Uberaba os manifestos também continuam. Na próxima sexta-feira as ruas de Uberaba serão tomadas pelos educadores, fortalecendo a manifestação. A intenção, segundo o presidente do Legislativo, vereador Lourival dos Santos, é parar a cidade, convocar pais, deputados, vereadores e assessores para participar da passeata. Os vereadores, ainda durante a sessão, assinaram uma moção, de autoria do vereador Marcelo Machado Borges - Bojão, que garante apoio aos grevistas. O documento será enviado ao governador.

Geórgia Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

VOLTE SEMPRE!




QUE BOM QUE VOCÊ VEIO! ESPERO QUE VOLTE SEMPRE...TEREI SEMPRE NOVIDADES TE ESPERANDO! BEIJINHOS!!