Seguidores

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Comissão aprova projeto que dá 14º a bons professores

Terão direito os docentes da educação básica e pública que elevarem o Ideb em 50%
A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) aprovou hoje projeto de iniciativa do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que concede o 14º salário aos
professores da educação básica, lotados em escolas públicas, que elevarem o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) ou outro indicador em 50% ou que obtiverem o respectivo índice mínimo de 6.
A pedido da Associação Nacional dos Municípios, o senador César Borges (PR-BA) pediu vista da proposta, alegando que ela teria que ser "aprimorada" para evitar um novo encargo que os municípios não terão condições de assumir. Mas mudou de ideia, quando foi convencido por Cristovam que em princípio poucas
escolas vão atingir o IDEB, que é uma avaliação do governo federal, e que o retorno da proposta será importante para o País.
"Hoje vamos aprovar a liberação de R$ 30 milhões para financiar a Petrobras no programa pré-sal, porque isso dará retorno. E eu pergunto aqui se não há retorno maior ao País se não a melhoria na educação", indagou Cristovam. O texto já foi aprovado na Comissão de Educação e ainda será examinado, em caráter terminativo, na Comissão de Assuntos Sociais, para ser encaminhado à Câmara.
Cristovam lembrou que tentou implantar proposta semelhante no Distrito Federal, quando foi governador, mas os sindicatos foram contra, porque os professores vão cobrar presença dos colegas faltosos para que a escola atinja a avaliação ideal e o
profissional seja recompensado.
Fonte: O Estado de São Paulo, 08/06/2010 - São Paulo SP

PRPOSTA DO GOVERNO DE MINAS - NOVO PLANO DE CARREIRA

O governador Antonio Anastasia acaba de apresentar a proposta de uma nova política remuneratória em parcela única (subsídio) para as carreiras dos servidores da Educação, que aumenta em 24,5% a folha total da Educação e representa acréscimo de R$ 1,3 bilhão anuais.

A nova proposta aumenta o salário inicial, incorpora as vantagens permanentes e, segundo o governo, "reduz disparidades entre as remunerações de servidores com a mesma função e torna mais atraente a carreira do Magistério, com promoção a cada cinco anos e progressão a cada dois anos".

As novas carreiras e salários entram em vigor a partir de 1º de março de 2011, após envio de projeto de lei para Assembléia Legislativa e deliberação sobre a proposta.

O ingresso na carreira do professor exigirá nível superior em curso de Licenciatura Plena. Pela proposta, o professor em início de carreira com jornada de 24 horas semanais e formação em curso superior de Licenciatura Plena passa a receber R$ 1.320,00, pagos em parcela única. Haverá a possibilidade de opção para jornada de 30 horas com 20 horas em sala de aula e 10 horas de preparação. Neste caso, o subsídio em início de carreira será de R$ 1.650,00.

O pagamento em parcela única (subsídio) já é adotado nos estados do Espírito Santo, Tocantins e Mato Grosso.


Novas tabelas
Professor da Educação Básica com nível superior - Jornada de 24h:
Escolaridade
Nível/Grau
Remuneração mínima em parcela única
Licenciatura Plena
IA
R$ 1.320.00
Especialização
IIA
R$ 1.452,00
Certificação
IIIA
R$ 1.597,20
Mestrado
IVA
R$ 1.756,92
Doutorado
VA
R$ 1.932,61


Professor da Educação Básica com nível superior - Jornada de 30h:
Escolaridade
Nível/Grau
Remuneração mínima em parcela única
Licenciatura Plena
IA
R$ 1.650,00
Especialização
IIA
R$ 1.815,00
Certificação
IIIA
R$ 1.996,50
Mestrado
IVA
R$ 2.196,15
Doutorado
VA
R$ 2.415,77


Inspetor Escolar – Jornada de 40h (dedicação exclusiva):
Escolaridade
Nível
Remuneração mínima em parcela única
Superior
I
R$ 3.300,00
Especial
II
R$ 3.630,00
Mestrado
III
R$ 3.993,00
Doutorado
IV
R$ 4.392,30
Comparação entre situação atual e a nova posição com a proposta do Governo

FUNÇÃO
Tempo de serviço
Jornada
Percentual de aumento
Serviços Gerais
20 ANOS
30h semanais
50%
Professor
Nível I
24h
18,2%
30h
47,8%
Nivel II
24h
63,5%
30h
104,4%
Nivel III
24h
38,9%
30h
73,5%
Servidor administrativo
15 anos
30h
21,4%

NOTA DE ESCLARECIMENTO



Posição da direção do Sind-UTE/MG a respeito da Nova Política Remuneratória anunciada hoje pelo governador

Diante do anúncio feito hoje pelo governador Anastasia, o Sind-UTE/MG vem a público informar:

O Termo de Acordo assinado entre Sind-UTE/MG e Governo Estadual previa que uma comissão de trabalho apresentasse propostas de modificação dos vencimentos básicos e remuneração de todos os servidores estaduais da educação. Entretanto, sem que a comissão terminasse os trabalhos cujo prazo final era 15/06, o Governador Antônio Anastasia anunciou uma suposta “nova política remuneratória”. No entanto, o Governador informou valores absolutos, divulgando a ideia de que a nova remuneração é vantajosa. O Governo Estadual esconde que haverá também:

- aumento da jornada de trabalho do professor, uma vez que a jornada de 30 horas será compulsória;
- modificação das carreiras da educação retrocedendo na valorização dos níveis de formação e graus (promoção e progressão);
- acaba com todas as vantagens e gratificações que os servidores podem adquirir ao longo da vida funcional;
- não valoriza os setores administrativos que trabalham nas Superintendências Regionais de Ensino;
- muda toda a dinâmica de remuneração do estado passando a ser em forma de subsídio, sem qualquer gratificação ou vantagem de acordo com a carreira e vida funcional.

Além disso, a política remuneratória seria para março de 2011. Infelizmente, a estratégia do Governador é de iludir a categoria divulgando valores que não correspondem ao vencimento básico.

O Sind-UTE/MG reforça a convocação já feita para a assembleia estadual no dia 17 de junho, em que avaliará com a categoria, as medidas que serão tomadas.

Direção do Sind-UTE/MG

domingo, 30 de maio de 2010

Trabalhadores em educação e Sind-UTE/MG saem fortalecidos da greve

Servidores e Sindicato forçam o Governo do Estado a assinar acordo e suspendem o movimento que durou 48 dias
Com o primeiro acordo assinado na história entre o Sind-UTE e o Governo do Estado, que garante o pagamento dos dias parados, a retirada de ação pela ilegalidade da greve e a criação de uma comissão formada pelo Sindicato e integrantes do Governo para modificação dos vencimentos de modo a buscar o Piso Salarial Profissional, os trabalhadores em educação de Minas Gerais decidiram suspender, nesta terça-feira (25 de maio), a paralisação que durou 48 dias.
Os servidores, que retornam às escolas nesta quinta-feira (27), contudo, continuam em mobilização permenente. Se em dez dias a comissão não apresentar à Assembleia Legislativa projeto sobre alteração no padrão de remuneração, os trabalhadores em educação prometem retomar a greve.
O documento foi assinado na noite de desta terça-feira, na Assembleia Legislativa, pela coordenadora geral do Sind-UTE/MG, Beatriz Cerqueira, a secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, a secretária de Estado da Educação, Vanessa Guimarães, o presidente da Assembleia, deputado Alberto Pinto Coelho, e integrantes da base aliada e de oposição ao Governo Estadual.
O acordo foi costurado na segunda-feira (24), depois que o Governo aceitou reivindicações apresentadas pelo Sind-UTE/MG, como a tramitação mais rápida do projeto de incorporação de vantagens ao salário e a garantia de que não haverá punições para os grevistas. Também ficou acordado o pagamento dos salários dos dias parados tão logo seja apresentado o calendário de reposição. A maior greve na educação nos últimos 18 anos levou mais de 200 mil pessoas às ruas, em assembleias, atos públicos e passeatas.
A coordenadora geral do Sind-UTE/MG, Beatriz Cerqueira, comemorou a assinatura do acordo e disse que a greve foi vitoriosa, porque obrigou o governo a negociar. “Derrotamos o Tribunal de Justiça, derrotamos o Anastasia, que disse que só negociaria quando a greve acabasse. O Governo assinou um documento histórico, o primeiro termo de compromisso da história do Sind-UTE. Nós ainda conseguimos a redução do prazo para apresentação de projeto na Assembleia para cinco dias”, disse Beatriz. A categoria deve voltar a se reunir em assembleia na primeira quinzena de junho para avaliar o projeto. A coordenadora do Sind-UTE/MG revelou que a comissão de greve continua em atividade e o objetivo dos trabalhadores em educação continua sendo conquistar o piso de R$ 1.312,85..
Para a diretora do Sind-UTE e da CUT/MG, Lourdes Aparecida Vasconcelos, os trabalhadores em educação “abaixaram o topete do tucano Anastasia”. “Conseguimos fazer o governo negociar, mas chegamos aonde podemos. Vamos continuar mobilizados e se no prazo estipulado a comissão não nos der resposta, nós vamos retomar a greve”, falou.
O presidente da CUT/MG, Marco Antônio de Jesus (na foto ao lado, durante a assembleia), o movimento dos servidores venceu o Judiciário e o Governo. “O Poder Judiciário, que rasgou a Constituição, ao declarar a greve dos trabalhadores em educação ilegal, não respeitou o direito dos servidores. Parabenizo a categoria e o Sind-UTE que fizeram uma greve histórica, que desmascarou o neoliberalismo que sucateou Minas Gerais.”
RECEBI POR E'MAIL DA COLEGA ELIZABETH MAGRI, POR ISSO NÃO DEI O CRÉDITOS.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

ENEM PARA PROFESSORES

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) abriu nesta quarta-feira (19) consulta pública para subsidiar a construção da matriz de referência para o Exame Nacional de Ingresso na Carreira Docente em 2011. A avaliação funcionará nos moldes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o professor que fizer a prova poderá usar a nota para ingressar em qualquer uma das redes de ensino que aderirem ao programa. Na primeira edição, poderão participar educadores dos primeiros anos do ensino fundamental (1º ao 5º ano) e da educação infantil. A consulta pública ficará no ar, no site do Inep, por 45 dias. As colaborações devem ser feitas a partir de um sistema que lista 16 temas centrais, cada um com uma série de tópicos relacionados às habilidades a serem demonstradas pelos candidatos a professor. A lista dos temas centrais – e seus tópicos – foi elaborada com base em critérios do que seria um bom professor, apontados pela experiência internacional. Os critérios são comuns a diversos sistemas educacionais com bons resultados, tais como: Austrália, Canadá, Cingapura, Chile, Cuba, Estados Unidos e Inglaterra. É possível opinar sobre todo o exame ou apenas sobre algum dos temas propostos. Após o término da coleta de sugestões, o Inep vai elaborar uma matriz que norteará a elaboração de itens para a nova avaliação. As secretarias que decidirem aderir ao exame terão liberdade para usar a nota para a seleção em fase única ou como primeira fase do processo. A abertura dos concursos também poderá ser feita a qualquer momento dependendo da necessidade de cada rede de ensino. Como o Enem, a prova será anual.
SE NOSTRADAMOS ESTIVESSE ENTRE NÓS, CERTAMENTE IRIA PREVER QUE MINAS GERAIS SERIA UM DOS ESTADOS COM MENOS CANDIDATOS PARA A PROVA.

UMA VERGONHA NACIONAL!




http://www.grevedosprofessores.com/

Observem o resultado final da enquete feita no blog ACIMA:
Que a greve continue, pois não podemos aceitar injustiças.
251 (59%)
Que a greve acabe, mas que os movimentos continuem.
124 (29%)
Que os movimentos e a greve acabem.
45 (10%)
Esta pesquisa mostra que muitos professores não eram a favor do fim da greve. O fim da greve teve um motivo, nós bem sabemos que o atual governador de Minas não dá a mínima para os professores e para os alunos, se desse não esperaria acontecer uma greve, ou pelo menos teria feito uma proposta melhor a muito tempo. Foi uma decisão sensata da assembléia; o sindicato não poderia correr o risco de sofrer demissões. Em relação as propostas não conseguimos o piso salarial, mas conseguimos alguns benefícios, que serão votados no próximo mês.Se aprovadas, estas propostas irão melhorar a nossa situação. É importante salientar que o movimento não acabou, mais do que nunca precisamos nos organizar e continuar nos comunicando, pois se as propostas não forem votadas a tempo, pois temos até 03/07/10, por ser ano eleitoral, a greve pode acontecer novamente. Para isto não acontecer divulgue estas informações na sua comunidade escolar e busque o máximo de apoio, pois também é de interesse dos pais e alunos. Hoje, na escola onde trabalho, já fizemos uma reunião junto com a direção e representantes da comunidade escolar e explicamos os motivos da greve, mostramos imagens dos eventos, o que foi proposto e ressaltamos a importância da participação deles em nossos movimentos, inclusive, já marcamos um movimento para sábado e um abaixo assinado da população.
Lembre-se: Voltar para a sala de aula e esquecer o que aconteceu é o que o governo mais quer! Precisamos continuar organizados para alcançarmos nossos objetivos, a luta ainda não acabou!
Daniel Gomes

ACHEI NA NET...COPA DO MUNDO.













GREVE SUSPENSA TEMPORARIAMENTE EM MINAS. PROFESSORES CONTINUARÃO MOBILIZADOS

Termina a greve dos professores em Minas Gerais. Suspensão de movimento será pelo prazo de 20 dias
26/05/2010 - 06h50 - Última atualização: 26/05/2010 - 06h55
Folha da Manhã

Carolina Wlassow
Quarenta e oito dias após o início da greve dos professores da rede estadual de ensino, chega ao fim a manifestação. O encerramento da paralisação foi aprovado na tarde desta terça-feira, dia 25 de maio, no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), com a presença de cerca de 15 mil pessoas. Com a iniciativa, a suspensão da greve será pelo prazo de 20 dias, que serão utilizados para avaliação da proposta apresentada pela categoria.
A comissão terá este prazo para estudar o plano de carreira e, de imediato, não haverá nenhum reajuste salarial. Nas propostas a serem analisadas o governo se compromete a não fazer qualquer tipo de represália contra os grevistas, como corte nas férias ou pagamentos. Também não haverá demissão de professores.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

GREVE NO ESTADO DE MINAS GERAIS

Postado às 16:10 por Marly Gribel

GREVE NO ESTADO DE MG
Sugestão de uma professora de história na tentativa de vencer a greve no Estado
Primeiro princípio:
Persistência, resistência e principalmente ausência de medo.Não submeter às ameaças do governo; corte de pagamento, ameaças de todo o tipo que somos submetidos. Não se ganha nada na vida a partir do MEDO; e os educadores mineiros são hábeis em driblar dificuldades, porque nosso salário nos leva a dura condição da pobreza e rebolamos todo mês para honrar nossos compromissos. Lamentável é ter um governador caloteiro que não nos paga o que é de direito: o Piso Salarial Nacional já aprovado pelo Governo Federal. Aécio e Anastasia( dão uma rima feia) são dois embusteiros que não honram suas dívidas com os educadores mineiros.
Segundo Princípio:
Estabelecer estratégias lineares, elaboradas passo a passo até a vitória.As ações desenvolvidas devem ser elaboradas previamente num calendário (como o rígido calendário escolar) para o estado inteiro: na capital e nas subsedes. Todas as ações a serem encaminhadas deverão ser conhecidas pela categoria e pela imprensa:
Ganhar o apoio da imprensa, que gosta mesmo é de espetáculo, uma imprensa chinfrim que se atém a fatos cotidianos como: assaltos, acidentes, tragédias familiares e se esquece ou se omite de divulgar os reais problemas da nação: esfacelamento e desmonte da educação e da saúde no Brasil, visíveis aos olhos de qualquer cego, menos da imprensa brasileira. Em Minas Gerais estamos na Idade Média, comandados por dois príncipes maus: Aécio e Anastasia e com grandes perspectivas de sermos rebaixados a Idade da Pedra Lascada, como confirmam as pesquisas: ninguém quer ser professor no Brasil. Toda a nação sabe que qualquer sacoleiro, bicheiro ganha mais que educador brasileiro.
Invadir os meios de comunicação alternativos; principalmente a internet: Orkut, yutube, twiter e blogs. Produzir vídeos educativos e esclarecedores sobre a greve e principalmente, denunciar com eficácia os desmandos destes dois demagogos: Aécio e Anastasia. Já existem várias comunidades na internet contra o governo de Minas e a blogueira aqui já disponibilizou no Orkut a comunidade: NÃO VOTO EM AÉCIO E ANASTASIA. Basta um clique e temos um gigantesco número de pessoas denunciando e colocando em risco estes dois oportunistas mineiros. Em todas as Assembléias atualizar os números de adeptos destas comunidades como forma de pressão; afinal não somos o tempo todo vítimas da pressão do corte de pagamento, entre outras barbaridades
Criar oportunidades reais de aparecer na Mídia, com eventos educativos e mega-eventos (descritos no final do texto) desvelando toda a nossa criatividade, que geralmente não é vista nem noticiada, porque restrita ao próprio ambiente escolar. Criatividade essa que sempre se revela mesmo diante da precariedade das escolas públicas;
Criar ações concretas de combate como o fazem os trabalhadores no mundo inteiro, basta observarem o 1º de maio no mundo, onde os trabalhadores e centrais sindicais organizaram movimentos de massa contra o governo, alguns desses países como Alemanha, França, Grécia, Cuba, fizeram manifestações públicas violentas (não pacíficas ou ordeiras, mas confrontos face a face com o governo e a polícia (instrumento de coação dos governos). Quanto a nós, os brasileiros, tivemos um 1º de maio marcado por shows, comícios, inclusive com campanhas políticas antecipadas como o fez o presidente da República em SP, aproveitando das manifestações pacíficas e ingênuas dos brasileiros; muitas categorias no Brasil em greve e a imagem que passamos para o mundo foi o de “Alice no País das Maravilhas”. Trágico, pra não dizer cômico.
SUGESTÕES PARA UM CALENDÁRIO DE GREVE
(que na minha modesta opinião deveria ser divulgado à imprensa)
Utilizar atos públicos (políticos) utilizando as lições da história, instruindo o Estado (dando aula gratuitamente para a população) conforme sugestões abaixo:
O PRESENTE DE GREGO:
Divulgar para a imprensa com data específica que temos um presente para Aécio e Anastasia (remetendo ao mito grego) Neste dia especifico em cada subsede haveria apresentações artísticas e confecção de um grande mural (a combinar): caricatura, charge, a critério da criatividade das subsedes, demonstrando o que estes políticos tem de fato feito pela educação em MG. Este mural deverá ser exposto em forma de presente, com laço de fita, num monumento público, no caso de MOC no prédio do HU.
A CAIXA DE PANDORA:
Enterro simbólico de todos os males que afligem o Estado: a saber: Aécio e Anastasia. Durante o Ato público seria importante narrar quantas desgraças saíram da caixa de Aécio e Anastasia, mas que nós mineiros ainda temos a esperança, que por sorte está presa na caixa/ caixão, ou seja, na morte simbólica dos dois falastrões. Nesse evento além do caixão, a figura da morte com uma caixa na mão, distribuindo à população santinhos com a cara dos dois vilões, explican
do o motivo de nossa indignação contra eles.

AULAS GRATUITAS COMO FAZIAM OS FILÓSOFOS GREGOS
Nas praças públicas em bairros de grande concentração de alunos (revisão de matérias para os alunos,quando do retorno e sugestões para estudo em casa) Estas ações deverão ser bem conduzidas, com carro de som no bairro, avisando das aulas na praça previamente escolhida. As aulas deverão ser criativas, com utilização de telões previamente concedidos por políticos que querem ajudar a categoria.
O PRINCÍPIO DA AHIMSA OU NÃO VIOLÊNCIA:
Radicalizar a ação utilizando o princípio de Mahatma Gandhi: Resistir, mas não obedecer: criar situações delicadas como anúncios de ocupação de prédios públicos, confrontar se preciso for com as forças do Estado, que são baseadas no princípio da violência ou coação. ”Qualquer grupo social tem que ser violento, egoísta, exclusivista, sob pena de deixar de existir como grupo. Uma sociedade que permite a seus sócios a aceitação ou rejeição dos estatutos da sociedade, e, neste último caso, deixa os transgressores impunes, essa sociedade deixou de existir, porque se suicidou previamente pela não violência. Qualquer sociedade vive graças à violência, e morre em virtude da não violência “ ( Rohden, Huberto).Quem vai adorar será a imprensa chinfrim, afinal , o hialite show não pode parar.
Marly Gribel
http://gribelm.blogspot.com/2010/05/greve-no-estado-de-minas-gerais.html

E AGORA GOVERNADOR?


Anastasia passa por momento difícil
Desafiado por greve de professores e empacado nas pesquisas, governador ainda tem ataque especulativo à sua candidatura

Cogitou-se em grupo próximo a Itamar Franco o lançamento do ex-presidente ao governo. Seria uma opção à candidatura de Anastasia. Mera especulação: não há por ora nenhuma articulação nesse sentido. Mas, tais rumores não deixam de sintomáticos: são reveladores do momento difícil por que passa o governador Anastasia. O governador está sendo desafiado por uma greve de professores que já dura 45 dias e virou tremendo impasse. Além disso, empacou nas pesquisas eleitorais. Por isso sua candidatura começa a ser alvo de ataques especulativos. Sem crescer
Na pesquisa do Datatempo, divulgada ontem, Anastasia teve 16% das intenções de voto – contra 52% de seu provável rival, Hélio Costa. Em 22 de fevereiro, no confronto com o ex-ministro, ele tinha 15,69%. Ou seja, não cresceu nada na pesquisa Datatempo após ter assumido o governo, apesar da visibilidade que o cargo lhe trouxe e da agenda intensa de candidato que vem cumprindo no interior.Volta aos eixosEm abril, já fora do cargo, Aécio Neves saiu de férias e deixou Anastasia tocando o governo e a campanha com as próprias pernas. Pelos rumos da greve de professores e das pesquisas, a bússola do líder fez falta aos seus liderados. Felizmente para o PSDB e para Anastasia, o ex-governador está voltando à cena. E com ele tudo poderá voltar aos eixos.
Siga o blog Raquel Faria no twitter
Postado por Raquel Faria em 24/05/2010 - 07h12

MAIS UMA DO GOVERNADOR

Professores em greve retomam diálogo com o governo
22/05/2010 19h20
DANIEL SILVEIRA
Os professores da rede estadual em Minas voltam a se reunir com o governo na próxima segunda-feira (24) para mais uma rodada de negociações. Neste sábado (22), houve reunião do Comando de Greve dos professores realizada pelo Sind-Ute/MG , quando foram levantados os pontos a serem defendidos na conversas com o governo, retomadas no dia anterior.
De acordo com a coordenadora do Sind-Ute/MG, Beatriz Cerqueira, nessa sexta-feira (21) ela se reuniu com a secretária de Planejamento, Renata Vilhena, numa tentativa de restabelecer o diálogo entre o governo e a categoria. Elas se reúnem novamente na segunda-feira e na terça (25) os professores realizam uma nova assembleia para definir os rumos da greve, iniciada no dia 8 de abril.Segundo Beatriz Cerqueira, somente após a reunião de segunda-feira o sindicato vai se pronunciar sobre a retomada das negoicações. Ela salientou que a categoria espera alguma proposta efetiva de reajuste salarial. "O movimento foi declarado com o interesse claro de que o governo modifique as nossas bases salariais. Até hoje não foi apresentada nenhuma proposta de reajuste salarial. O governo só ofereceu a concessão de benefícios", afirmou.Atualizada às 19h30.

MAIOR MENTIRA JÁ CONTADA NA AMÉRICA LATINA



ANASTASIA - Anastasia afirmou que a greve dos professores não irá interferir na sua campanha e serei governador e não ligo com estes professores em greve, os que me apóiam estão trabalhando e satisfeitos com o salário que é um dos melhores da américa latina.
Essas belas palavras são para os colegas que continuam em sala de aula , só esperando como telespectadores , tudo acontecendo , e ele(a) nada fazendo , permanecendo em sua indiferença . Essa indiferença por parte desses colegas , é que deu forças para que ANASTASIA afirmasse esse ABSURDO " MELHOR SALÁRIO DA AMÉRICA LATINA "
OPINIÃO DO BLOG
O GOVERNADOR SE ESQUECE QUE PROFESSOR É FORMADOR DE OPINIÃO. UM SIMPLES GESTO DE UM BOM PROFESSOR VALE MUITO MAIS QUE BELAS PALAVRAS EM CAMPANHA ELEITORAL PARA UMA COMUNIDADE.
E OS BONS PROFESSORES ESTÃO EM GREVE..OS OUTROS, NÃO SABEMOS! TAMBÉM NÃO IMPORTA...SÃO A MINORIA MESMO!

PODE CONTRATAR GOVERNADOR...A GREVE CONTINUA...

Governador reforçou a possibilidade de contratar substitutos. Servidores estão parados há 45 dias
Denise Motta - Repórter - 22/05/2010 - 22:46
FREDERICO HAIKAL

Governador reforçou, porém, a possibilidade de contratar substitutos temporários.
O governador Antonio Anastasia (PSDB) descartou neste sábado (22) demitir os servidores da Educação, em greve há 45 dias. Mas reforçou, porém, a possibilidade de contratar substitutos temporários. No início da semana, o governo anunciou o corte de ponto dos grevistas, avisou que os profissionais terceirizados estão mais suscetíveis a retaliações, mas ressaltou que os efetivos também não escapariam às suas responsabilidades por conta da paralisação.“Não há demissões, nós não cogitamos em nenhum momento demissões na área do magistério, mas a nossa preocupação é realmente dar aulas aos alunos. Então, essa determinação judicial permite que coloquemos professores para que as aulas retornem. A lei permite que enquanto houver ausência de professor haja contratação”, afirmou o governador, que participou, em Caeté, do 7º Encontro de Profissionais das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Minas Gerais (CDL).Anastasia não quis comentar a decisão do Governo do Estado de cobrar o período em que o servidor público optar por migrar do plano de saúde oferecido pelo Ipsemg para um serviço médico e odontológico privado. A cobrança ocorreria se o trabalhador mudar de ideia e decidir se vincular novamente ao Instituto de Previdência dos Servidores. A medida foi tomada depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou ilegal a cobrança compulsória da contribuição de 3,2% nos contracheques dos servidores - mesmo daqueles que não utilizam os serviços prestados, conforme mostrou ontem o HOJE EM DIA, com exclusividade.O governador limitou-se a reafirmar a decisão do STF, que permite ao servidor contribuir voluntariamente. “Esse é um tema do Ipsemg e da Secretaria de Planejamento, mas agora tornou-se uma opção do servidor. O servidor fará opção se quer ficar no sistema, conforme decidiu o Supremo. Será uma opção”.A Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) disponibilizou, no início deste mês, um formulário para os servidores que desejam optar por sair do plano de saúde do Ipsemg. No documento, o servidor é obrigado a comprometer-se a pagar pelo tempo que não esteve coberto pelo plano, se mudar de opinião e quiser voltar a ser usuário. A medida é alvo de questionamento judicial por parte do Ministério Público, sob argumento de que se trata de “enriquecimento ilícito”.

domingo, 23 de maio de 2010

ANASTASIA PREOCUPA-SE COM A ALIMENTAÇÃO DOS ALUNOS E COM PAIS QUE TRABALHAM E DEIXAM SEUS FILHOS NA ESCOLA. E A EDUCAÇÃO ANASTASIA? ESQUECEU-SE?

TJMG autoriza contratação de professores
De acordo com a decisão da Justiça, objetivo é propiciar o retorno dos alunos da rede pública às aulas
Andréia Candido com Agência Minas
Jornal Correio de Uberlândia
Atualizada: 21/05/2010 - 22h32min

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais decidiu ontem que o governo de Minas pode contratar professores substitutos aos que se encontram em greve liderada pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE).
Segundo a decisão, o governo de Minas está autorizado a adotar “as providências que refutar cabíveis para restaurar a prestação do serviço público mediante a edição de novo ato administrativo no qual, segundo seu critério de discricionariedade, discrimine as condições para que as contratações temporárias possam ser efetivadas”. Ainda de acordo com a decisão, o objetivo é “propiciar o retorno dos alunos da rede pública às aulas”. A decisão de ontem vem depois de a Justiça ter considerado a ilegalidade do movimento em duas decisões diferentes.
O governador Antonio Anastasia reiterou a sua preocupação com as crianças e jovens que se encontram impedidas de frequentar as aulas, especialmente com aquelas que contam com a merenda escolar como parte importante de sua alimentação. Há uma preocupação também com os pais e responsáveis que precisam trabalhar fora e não estão tendo com quem deixar os filhos. O governo de Minas se diz aberto ao diálogo com a categoria.
Comando se reúne hoje na capital
Integrantes do comando de greve dos professores da rede estadual de ensino se reúnem hoje, em Belo Horizonte, para debater as propostas do governo de Minas, apresentadas na última assembleia, realizada na terça-feira (18). Na segunda-feira, na Escola Américo Renê Giannetti, às 18h, os professores vão avaliar as decisões. Da reunião sairá a decisão de manter ou não a paralisação.
Ontem, cerca de 50 professores se reuniram em frente à Superintendência Regional de Ensino para uma manifestação. De acordo com a presidente do Sind-UTE em Uberlândia, Elaine Cristina Ribeiro, o movimento foi para denunciar a insatisfação dos professores diante das ameaças do governo.
OPINIÃO DO BLOG.
PROFESSOR NÃO É BABÁ ...É EDUCADOR E PRECISA SER VALORIZADO COMO TAL.

A LUTA CONTINUA ATÉ A VITÓRIA ...

Professores vão manter greve na rede estadual
Categoria alega que Estado não cumpriu acordo e que, sem aumento do piso, as atividades não serão retomadas
Os professores da rede estadual em Minas decidiram, ontem, que a greve, que já dura 41 dias, vai continuar. A decisão contraria a expectativa gerada desde a semana passada, quando representantes do governo de Minas e do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) reuniram-se para negociar e sinalizaram um possível acordo.
De acordo com a coordenadora do Sind-UTE/MG, Beatriz Cerqueira, a secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, não cumpriu o que foi acordado no dia 12 de maio."Ela ficou de mandar as propostas do governo por escrito e não o fez a tempo de estudarmos para discutir em assembleia", disse.
A representante dos professores afirmou que o que mais motivou a decisão pela continuidade do movimento foi a questão salarial. Enquanto não estiver claro o que o governo propõe para esse item, disse a sindicalista, o movimento será mantido.
"Nossos governantes acharam que perderíamos apoio com as ameaças e intimidações que vêm sendo feitas. Mas o que vejo é o contrário. A cada dia aumenta mais a adesão. Pelo que vejo, enquanto o governador não implementar do piso nacional, de R$ 1.312,85, a categoria não vai aceitar voltar à sala de aula", disse.
A Secretaria de Estado da Educação (SEE) informou, por meio de sua assessoria, que não tem os números atualizados sobre quantas escolas estão em greve. Mas, de acordo com o Sind-UTE/MG, mais de 60% dos 250 mil servidores do Estado estão de braços cruzados desde o dia 8 de abril. A próxima assembleia está agendada para 25 de maio.
A professora de educação física Cacilda Barros, de 34 anos, trabalha em duas escolas de Belo Horizonte e disse que aderiu à greve por ter dois filhos que estudam na rede pública."Reivindico melhores salários porque acho importante valorizar o educador. Infelizmente, só por meio da greve estamos conseguindo chamar a atenção para isso", comentou.
A mais longaA greve na rede estadual teve início no dia 8 de abril. De acordo com o Sind-UTE/MG, a paralisação é a mais longa da década. Em 2000, os professores cruzaram os braços por 45 dias.
Trânsito lentoOs motoristas que trafegaram pela região Centro-Sul de Belo Horizonte, na tarde de ontem, voltaram a sofrer com o trânsito lento provocado por mais uma manifestação dos professores da rede estadual. Logo depois que a categoria decidiu pela continuidade da greve, os manifestantes seguiram do bairro Santo Agostinho para o centro. A avenida Afonso Pena ficou parada por 40 minutos.
Fonte: Super Notícia

GREVE DOS PROFESSORES PÚBLICOS ESTADUAIS EM MINAS GERAIS PROSSEGUE....

Vereadores integram a passeata dos professores na próxima semana


22/05/2010 às 09:59

Mais parecia um palanque político a visita dos representantes do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), ontem, à Câmara Municipal. Os sindicalistas aproveitaram o momento para mostrar a sua indignação com o resultado das negociações com o Governo e a atual situação da greve. Os vereadores abraçaram a causa e afirmaram que irão defender os educadores nesta luta. Para isso está agendada para a próxima sexta-feira (28), às 17h, uma passeata entre professores e vereadores que sairão da Câmara rumo à Escola Estadual Brasil, reivindicando um melhor salário. A paralisação dos serviços dos professores do Estado, que completa quase dois meses, está dando o que falar. Para impugnar o manifesto, o desembargador Wander Marotta concedeu liminar de tutela, suspendendo a greve dos educadores, declarando ilegalidade das ações de paralisação e movimentos grevistas. Por outro lado, os sindicalistas alegam que a decisão tomada pelo desembargador envolveu questões políticas, visto que um dos preceitos da liminar se apoia na questão de que em caso de serviços essenciais, para greve, um percentual de trabalhadores não pode paralisar, porém a Educação não é considerada serviço essencial, segundo a Constituição. De acordo com o vereador e professor Carlos Alberto de Godoy, a Educação em Minas em toda a sua história foi tratada como incompetente, algo supérfluo, do tipo que fica para depois. "Aqueles que pretendem ser governadores, vereadores e prefeitos precisam saber que professor garante Estado de Direito. Pois daqui a pouco teremos que pegar em armas, pois revolução começa assim", enfatiza o vereador. Mas enquanto os sindicalistas continuam com o anúncio de greve, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais decidiu nesta sexta-feira que o Governo de Minas pode contratar professores substitutos aos que se encontram em greve liderada pelo Sind-UTE. De acordo com a decisão, o objetivo é "propiciar o retorno dos alunos da Rede Pública às aulas".De acordo com a coordenadora do Sind-UTE de Uberaba, Sônia Regina Monte, os sindicalistas estarão em Belo Horizonte, hoje, para rebater a medida tomada pelo desembargador Alvim Soares, relator substituto na ação movida pelo Estado, que aumentou a multa aos professores, e a substituição dos grevistas nas salas de aula também será discutida. Já em Uberaba os manifestos também continuam. Na próxima sexta-feira as ruas de Uberaba serão tomadas pelos educadores, fortalecendo a manifestação. A intenção, segundo o presidente do Legislativo, vereador Lourival dos Santos, é parar a cidade, convocar pais, deputados, vereadores e assessores para participar da passeata. Os vereadores, ainda durante a sessão, assinaram uma moção, de autoria do vereador Marcelo Machado Borges - Bojão, que garante apoio aos grevistas. O documento será enviado ao governador.

Geórgia Santos

sábado, 27 de fevereiro de 2010

NOVA ESCOLA!


Por que as crianças devem aprender a escrever com letra de fôrma para depois passar para a cursiva?
Esta escolha está relacionada ao processo de construção das hipóteses da escrita. Durante a alfabetização inicial, os pequenos trabalham pensando quais e quantas letras são necessárias para escrever as palavras. As letras de fôrma maiúsculas são as ideais para essa tarefa, já que são caracteres isolados e com traçado simples - diferentemente das cursivas, emendadas umas às outras. O aprendizado das chamadas "letras de mão" deve ser trabalhado com crianças alfabéticas, que já têm a lógica do sistema de escrita organizada. Antes de estarem alfabetizadas, elas entram em contato naturalmente com as letras cursivas e as de fôrma minúscula e até podem ser apresentadas a elas, desde que tal contato fique restrito à leitura.
Julia de Almeida, Belo Horizonte, MG
Consultoria Cristiane Pelissari, selecionadora do Prêmio Victor Civita Educador Nota 10.

FAZENDO OS PRÓPRIOS OVOS DE PÁSCOA!















OVOS DE GALINHA BEM COZIDOS TRANSFORMADOS EM OVINHOS DE PÁSCOA! ELES AMARAM!

LEMBRANCINHAS DE PÁSCOA PARA TODOS OS GASTOS E GOSTOS! ACHEI NA NET...



































Ocorreu um erro neste gadget

VOLTE SEMPRE!




QUE BOM QUE VOCÊ VEIO! ESPERO QUE VOLTE SEMPRE...TEREI SEMPRE NOVIDADES TE ESPERANDO! BEIJINHOS!!